2

O Altar é lugar de três coisas: Entrega, SACRIFÍCIO e Aliança…

TEMA GERAL: Reparando o altar quebrado. Texto base: 1 Reis 18.30b

“Então, Elias disse a todo o povo: chegai-vos a mim. E todo o povo se chegou a ele; e reparou o altar do Senhor que estava quebrado.”

O altar é lugar para três coisas:

1. Entrega – 2. SACRIFÍCIO – 3. Aliança

O FOGO ARDERÁ CONTINUAMANTE SOBRE O ALTAR

“O fogo ardera continuamente sobre o altar e não se apagará.”

A primeira menção de um altar ocorre após o Dilúvio, quando “Noé começou a construir um altar a Jeová” e fez nele ofertas queimadas. (Gênesis 8:20) As únicas ofertas mencionadas antes do Dilúvio foram as de Caim e de Abel, e embora seja provável que fizessem isso, não se diz se usaram altares, ou não. — (Gênesis 4:3, 4). Todavia, vamos recordar de uma personagem bíblica por nome de Ana, esposa de Elcana lá em Siló (1 Samuel 1: 1.10). Era uma mulher muito triste e havia um forte motivo. Não tinha filhos. Era estéril. Um dia resolver ir ao sacrifício anual (1 Samuel 1.3) mesmo assim partiu para Siló com um desejo enorme de sair do opróbrio que lhe era imposto por Penina, sua rival(1 Samuel 1.6) que, neste caso representa toda uma sociedade inquiridora, julgadora e opressora. Claro que tudo isso que sua oponente fazia contrapõe a palavra de Deus que diz para não julgarmos  as pessoas (Mateus 7.1.). Ana não comeu naquele dia (1 Samuel 1.7) pois decidiu sacrificar e  jejuar para que Deus a ouvisse. Quando nós queremos que Deus nos ouça devemos tomar posição, tomar atitude. E o jejum é uma das armas mais poderosas que dispomos  afim de usarmos a nosso favor em momentos de tempestades espirituais quais abatem sobre nós. Ana, então, depois de sacrificar um jejum ora a deus (1 Samuel 1.10) foi para dentro do tempo, pela inferência bíblico-textual, provavelmente ela deve ter se postado ante o altar do holocausto que ficava defronte ao tabernáculo na cidade de Siló, onde o sacerdote Eli numa cadeira e de longe a tudo observava estando junto a um dos pilares. Imaginemos a bela cena: Ana solitária, chorando e gemendo ante um frio monumento de cobre  ­— o “altar de cobre” (Êxodo 27. 1-8 e 39:39) ali , por ser um lugar de oração publica já naquela época, havia este acesso ao povo de israel.  mas o que nos chama a atenção aqui é a forma de sacrifício executada por esta corajosa mulher. Ela foi só. Significa que ninguém pode sacrificar aquilo que eu devo sacrificar. Foi em jejum. Era esta a sua melhor oferta. Que atitude! Devemos continuamente imitá-la. Porque se Deus requer isso de mim, (sacrifício) outro não poderá fazê-lo por mim. Recordemos de Abraão e Isaque no Monte Moriá. Pois bem, voltemos nossa personagem: Ela abundantemente chorou diante do altar. Claramente demonstra que para ir ao altar dever apresentar um coração quebrantado e contrito.

Afirma a Bíblia que nos dias de hoje o sacrifício para Deus são um coração quebrantado o qual ELE não despreza de forma alguma.  O Apóstolo Paulo em Romanos 12.2 fala de um “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus ” e nos responde afirmando que este sacrifício deve ser o “culto racional” de cada um de nos. Indiscutivelmente Deus criou o homem para dois grandes propósitos: 1° para glória do SEU poder e 2° para adorá-LO na beleza da SUA santidade como fazem os querubins ante a magna, pura e santa presença. Então, dileto irmão (a) te pergunto neste exato momento, qual seu melhor sacrifício? Ou, quando foi seu último ato de sacrifício? Ou ainda, há quanto tempo não sacrifica a Deus com o coração?

Sacrificar, segundo Paulo é apresentar culto agradável a Deus e culto sem sacrifício que culto é este? Responda a si mesmo… Que culto é este? Como se entregar sem sacrifício algum? É muito importante que saiba disto amado (a) que o altar só arderá se houver sobre ele algum tipo de sacrifício agradável a Deus. Recordemos das ofertas de Caim e Abel ante ao Senhor. Recordemos ainda o sacrifício de Elias ante os profetas. E por ai vai…

Continuação 1. Entrega – 2. SACRIFÍCIO – 3. Aliança

—————————————————————————————————————————————–

* Pr. GILVANDER GREGORIO DE LIMA. Ministro do Evangelho (Cad. CGADB n° 036261). supervisor do setor 10 da IEAD em Porto Velho/RO.  Mestre em Teologia pela FAETEL/SP. Casado com Valdirene e tem dois filhos, Juninho e Gabriela. É tenente coronel do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia/Brasil. Contatos via Msnseparadoeconsagrado@hotmail.com e email majbmgregorio@bol.com.br

Comentários(2)

  1. Antonio Alexandre says

    Le e é muito forte estes comentario, tocou-me Deus abençoe

    continua assim

Publicar um comentário